Como a falta de profissionalismo encarece os custos de comércio exterior.

by Cheap2ship

Quero fazer uma pergunta a você cliente, que decide qual agente de carga vai realizar o frete internacional, qual despachante aduaneiro cuidará da nacionalização/desnacionalização, qual instituição financeira emitirá o contrato de câmbio ou qual trading company supervisionará toda a operação:

Como você tem tratado estes seus contratados e todos os outros que participam do seu comércio exterior?

E essa pergunta não diz respeito a valores e pagamentos conforme acordado, afinal, isso não passa de uma obrigação. É para você refletir como você tem tratado as pessoas que trabalham para ou com esses prestadores de serviço, talvez você ache que trate bem, mas algumas atitudes podem acabar encarecendo suas importações e exportações.

Para tentar exemplificar, apresento os três tipos de cliente que mais me incomodam e que são comumente mencionados por meus amigos de profissão.

O preguiçoso

preguiça

Esse ser humano tem como principal objetivo poupar o próprio tempo e energia, mesmo tendo as ferramentas e informações para otimizar o trabalho, ele acha mais eficiente tratar os outros como secretários.

Gosta de incomodar com perguntais simplórias e repete-as seguidamente porque não faz questão de anotar (nem de aprender, isso custa energia), e como se não bastassem os quilos de perguntas, costuma fazer do jeito mais trabalhoso para a outra parte:

  • Quando que meu container chega?
  • Vamos ver, tem o número do B/L?
  • Não.
  • O nº do container?
  • Não.
  • Sabe o porto de destino?
  • Algum do sul Brasil.
  • Sabe a mercadoria?
  • Chapa de aço.
  • Qual espessura?
  • Ah não sei, manda pra mim em 10 minutos uma planilha com todas que já embarcaram, em ordem de espessura.
  • Mas lhe mandamos todos os embarques atualizados ontem via follow-up…
  • Ah não gosto de ficar olhando e-mail, me manda numa planilha Excel tá? Não manda por aquele Libre Office porque eu não sei usar.

Obviamente que quem pergunta demais, não faz questão de controlar toda a informação recebida, mais fácil pedir novamente e, quando o procuram para perguntar sobre a qualidade do serviço ou pedir feedback de valores, está sempre ocupado.

O grosso, idiota, babaca, fdp…

burns

Os adjetivos são vários e raramente educados, são esses que se corrompem com o mínimo de poder de comando que recebem, por consequência dos problemas pessoais e profissionais (recentes ou antigos) e aproveitam para descontar nos prestadores de serviço contratados, pois são covardes demais para resolver o conflito com quem os prejudica.

E para compensar a patética vida, adoram massagear o próprio ego com e-mails lacradores, esbravejar no telefone e achar o máximo deixar as pessoas sem resposta ou amedrontar lembrando seguidamente que pode trocar de prestador de serviço quando bem entender.

Já contei no artigo Não seja um cliente idiota como esse comportamento é prejudicial e o que pode fazer para mudar, sugiro a leitura como complemento, até para as pessoas de bem, pois podemos desvirtuar sem darmos conta.

O exibido.

Esse abençoado é uma peçonhenta mistura do Preguiçoso com o Grosso, ele pratica o defeito de ambos com o objetivo de aplicar seu tempo e energia se glorificando às custas do trabalho e/ou humilhação alheios.

Independentemente da posição hierárquica, reuniões com prestadores de serviço é o momento dele dar show, através de longos monólogos para mostrar como é o ‘’Fodão’’ (com a informação que exigiu na grosseria e de mão beijada dos outros). E fora das reuniões, aproveita o mais simples dos conflitos para atrair os holofotes ao enviar e-mails com textões cheios de palavras pomposas e adicionando um mundaréu de pessoas que nada tem a ver com o assunto.

pavão

 

Também conhecido como Funcionário Pavão.

Acho curioso como quando deparamos com estes exibidos, temos dificuldade em definir qual a função deles, pois eles passam mais tempo se auto afirmando do que executando algo.

Por que encarece as operações de comércio exterior?

Sabemos que o tempo que uma exportação ou importação exige para ser realizada varia bastante de acordo com a mercadoria, modo de embarque, anuências exigidas e demais burocracias, quanto mais tempo necessário, mais caro os prestadores de serviço precisam cobrar.

‘’E encarecerá mais ainda se você se identificou com um destes três tipos de cliente, nem que seja apenas em parte pois você estará tornando as operações mais demoradas que o normal’’.

Prefere com exemplo? Digamos que um profissional de importação aérea de um determinado agente de carga é capaz de gerenciar de 50 a 60 operações/mês, mas devido a este novo cliente pavão, esse mesmo profissional agora consegue realizar no máximo 40 a 50 processos/mês.

Consegue adivinhar quem vai pagar essa diferença?

Como os prestadores de serviço encarecem?

O “como” é irrelevante e você não ficará sabendo, mas o “Spread chatão” está lá e não será removido até que você mude, mesmo que você cote com 3, 5 ou 10 prestadores diferentes, eles irão precificar esse custo conforme descobrem o quão difícil é trabalhar para você em razão:

  • Do tempo que eles perdem em reuniões semanais para o cliente massagear o próprio ego;
  • Do quanto são incomodados com as mesmas perguntas medíocres ou com tempestades em copo da água que você cria;
  • Do tempo perdido para ler os textões e interpretar porque muito foi dito, mas nada foi informado;
  • Da quantidade de vezes que um profissional deles precisa sair da mesa para se acalmar ou ir embora mais cedo porque um cliente acabou com o dia dele.

tempestade

Quem dera fossem apenas estes quatro exemplos, não há limites para o quanto uma pessoa pode incomodar, mas isso nunca sairá de graça, não existe almoço grátis em nenhum segmento.

Talvez você precise dar um tempo em suas complexas pesquisas de redução de custos operacionais ou de regimes aduaneiros para prestar atenção em algo mais básico: reduzir custos através da gentileza e empatia. O oposto disso gera um karma que pode se manifestar financeiramente, capaz de ser o responsável por inviabilizar uma operação.

E caso não consiga se comportar com um ser humano decente para fazer o bem ao próximo, faça-o para reduzir seus custos, todos os prestadores de serviço do comércio exterior que lhe aguentam, ganharão com sua mudança de postura.

Publicação em parceria com:

Jonas Vieira

https://www.linkedin.com/in/jonasvieira/

Quem é o Jonas?

É um cara formado em comércio exterior, que trabalha há mais de dez anos com importação, compras e logística internacional, e continua apaixonado pela falta de rotina que essa vida tem! Agora ele quer dividir essa experiência com todos, de forma simples e bem humorada.

Palavras chaves: cheap2ship / c2s / frete internacional / redução de custos / comércio exterior / logística / cotação de frete /  importação /  exportação